domingo, 1 de novembro de 2015

MENSAGEM DOS PLEIADIANOS – 23/10/15 | Anjo de Luz

MENSAGEM DOS PLEIADIANOS – 23/10/15 | Anjo de Luz


OS 10 ERROS METAFÍSCOS MAIS COMUNS



Autoria desconhecida - Se souber por gentileza informe para ser citado.

Quando começamos a percorrer o caminho espiritual, procuramos a perfeição em nossas vidas. Tratamos de melhorar o nosso caráter, costumes, idéias, alimentação, e até a vida social. Às vezes, fazemos sacrifícios com a finalidade de alcançar uma vida mais plena e feliz; no entanto, muitas vezes não chegamos ao estado de êxtase ou plenitude que desejamos. A decepção pode levar-nos a rejeitar a disciplina que tínhamos empreendido, ou no pior dos casos, pode desmoralizar-nos até o ponto de pensar que “Deus se esqueceu de nós”. Qualquer que seja a reação está só nos mostrando que cometemos um erro. E um erro pode ser corrigido. O Universo funciona como um grande computador: é preciso saber tocar nas teclas adequadas para obter o que se deseja. Quando não o estamos fazendo, o computador detém-se, espera fria e silenciosamente o sinal elétrico correto. O Universo tem suas “teclas” e a Metafísica ensina-nos quais são. Algumas escolas esotéricas adulteram estes ensinos, talvez sem nenhuma má intenção, o que leva muitas pessoas a cometerem erros e a frustrarem-se nas suas expectativas. Alguns dos erros mais comuns são os seguintes:

(1) ENVOLVER-SE NUMA BOLHA DE PROTEÇÃO, OU NUMA LUZ, OU NUMA COR, OU EM ANJOS, OU EM QUALQUER OUTRA FORMA QUE PROTEJA DOS PERIGOS QUE EXISTEM FORA
A única coisa que logra este tipo de exercício é fomentar a idéia de que algo externo pode ter mais poder que nós. A nossa mente percebe que há algo ali fora que pode, por exemplo, machucar-nos ou fazer-nos mal. Mas, segundo os ensinamentos espirituais, TUDO É DEUS; portanto, nada pode fazer-nos mal. Na realidade, deveria praticar-se algum tipo de exercício de reconhecimento da segurança pessoal. Este exercício poderia dizer: “Vá onde for, estou sempre a salvo, estou rodeado de irmãos, vivo no mundo que Deus criou e só vejo amor em todo lado”. Em síntese, ao escolher que exercício mental ou meditação fazer, deveremos procurar aquele que nos lembre a natureza divina da vida e não o perigo que percebe o nosso ego. Muitas pessoas crêem que repetindo certas afirmações podem transformar a sua situação pessoal, o que é um erro. Não são os pensamentos que determinam a nossa realidade senão as nossas “crenças”. Somente os pensamentos que internalizamos e tomámos como a nossa verdade são os que se manifestam. Dito de outra maneira, aquilo que “sentimos” internamente que é assim é o que toma forma no mundo externo. A mente humana produz uma média por pessoa de 60 mil pensamentos diários, a maioria dos quais são negativos. As afirmações são necessárias para lograr implantar uma crença nova na nossa mente subconsciente e a repetição destas afirmações é um procedimento adequado, mas até adicionarmos a emoção ou sensação que acompanha essa ideia não a internalizamos como uma verdade dentro de nós. A repetição de palavras carentes de emoção não é efetiva. Portanto, se eu repetir “Vá onde for, estou sempre a salvo”, mas não me sinto realmente seguro, de nada me servirá. É necessário selecionar exercícios mentais, meditações ou visualizações que fomentem as crenças de paz, harmonia e prosperidade.

(2) ENVIAR LUZ AOS OUTROS PARA QUE MELHOREM
Pode enviar-se luz ou energia a outras pessoas para que se curem de certa doença, para que melhorem sua situação econômica, a sua vida afetiva, e demais. A maioria destes exercícios são mais parecidos com uma forma de manipulação do que com uma verdadeira ajuda espiritual. Primeiro e principal: se for ajudar a outro, é preciso ter certeza de que a pessoa o peça e o necessite. Se isto não acontece, temos que trabalhar com o que estamos percebendo, porque o problema é algo pessoal que diz respeito a nós próprios e não à pessoa que está sofrendo. A maioria dos problemas são apenas momentos de prova que está vivendo um indivíduo; são necessários e muito úteis para “despertar da sua consciência”. Nunca sabemos na realidade quão importante pode ser para cada pessoa a situação que está enfrentando em determinado momento. Podemos perceber essa situação como algo terrível, doloroso, injusto ou desnecessário, mas qualquer que seja a nossa interpretação, nunca será correta nem completa. Enviar luz à pessoa poderia acelerar ou entorpecer o seu ritmo pessoal. Nossa intervenção é desnecessária e a maior parte das vezes, não é mais do que um desejo egoísta de que a pessoa resolva rápido o seu problema porque este nos produz angústia ou dor. Em lugar de enviar luz aos outros cada vez que passar uma situação difícil, começa por enviar luz a si mesmo para que seu Mestre Interior lhe faça ver a Verdade que está atuando na situação.

(3) CRER QUE VAMOS EM DIREÇÃO A DEUS, QUE EVOLUÍMOS ESPIRITUALMENTE
Não vamos em direção a Deus, JÁ ESTAMOS EM DEUS. Tudo o que nos rodeia forma parte do grande corpo universal de Deus. Não evoluímos espiritualmente. O nosso Espírito é Perfeito e Completo; não pode nem tem de evoluir. Na realidade, é um problema semântico, já que a evolução espiritual não existe. O que queremos deixar perceber com isso é o despertar da nossa consciência a essa perfeição e quanto mais rápido o fazemos, mais plenos e felizes vivemos. Talvez o erro provenha dos ensinamentos religiosos que nos dizem que Deus está “no céu”, como se nós estivéssemos separados d´Ele. Nós e o “céu” somos UM, e devemos aprender a reconhecê-lo e a vivê-lo; nisso consiste a nossa Evolução de Consciência ou Despertar Espiritual.

(4) ANGUSTIAR-SE OU PREOCUPAR-SE QUANDO HÁ UM FAMILIAR DOENTE OU ATRAVESSANDO ALGUM TIPO DE CRISE
Na nossa cultura está bem visto que uma pessoa se aflija ou sofra ao mesmo tempo que os seus seres queridos; no entanto, isso só aumenta o pesar. E interpretarmos o nosso pesar desde outro nível significa que acreditamos mais no poder da doença ou a crise do que na solução. Quando uma pessoa se aflige pela doença de um ser querido, agrava essa doença, dá-lhe mais força e poder. A solução é fazer um esforço pessoal e reconhecer que, para além do nosso entendimento, há uma Inteligência Superior que está agindo e que tem o poder de restaurar completamente o nosso ser querido, se assim o deseja a pessoa. O mesmo acontece com qualquer tipo de problema ou crise. Se nos afligimos, é porque o nosso ego aceitou que há uma força mais potente do que o Poder Divino.

(5) ACREDITAR QUE ALGUÉM FOI “ESCOLHIDO” POR DEUS
Muitas pessoas que estudam em escolas esotéricas sentem-se especiais e evoluídas. Sentem que Deus os levou ao lugar adequado para o seu crescimento e evolução; que a informação que vai receber é muito importante e não pode divulgar-se a pessoas que não estão tão evoluídas, porque não têm a capacidade para entendê-la ou para lhe dar um bom uso. Esta presunção converte-se em uma forma de arrogância nada espiritual, que nos faz pensar que somos privilegiados, especiais, eleitos, e que os outros estão desencaminhados ou perdidos na vida. Esta forma de arrogância também se vê nas religiões que se sentem proprietárias de Deus. Se alguém não segue o seu culto, está perdido. No Universo existe um só Deus e é o mesmo para Todos. Os humanos inventam diferentes maneiras de lhe render culto, criam dogmas e doutrinas, mas, em essência, todos adoramos o mesmo Deus. Todos somos iguais ante os olhos de Deus. Para Ele, ninguém está mais à frente nem mais atrás. Ninguém vale mais nem menos. Qualquer interpretação e classificação como ser especial corresponde ao terreno do ego humano e não ao terreno do divino.

(6) SACRIFICAR-SE POR OUTROS
Não há nada mais inútil e insatisfatório que sacrificar-se pelos outros. As tarefas que se façam pelos outros deverão fazer-se com amor ou, caso contrário, evitar-se. Tudo o que se faz com amor é prazeroso; portanto, não pesa nem incomoda. Pelo contrário, tudo o que se faz com sacrifício gera pressão interna, rancor, aborrecimento, incomodo e, às vezes, até ódio.
O sacrifício pelos outros está aprovado socialmente e está muito bem conceituado. Alguém pode sacrificar-se, por exemplo, pelos filhos, pelos pais, pelo companheiro, pela profissão, pelas crianças desamparadas, por alguém doente, pela instituição religiosa à qual pertence, pela empresa que lhe dá trabalho. A lista poderia ser interminável e nada mais é do que uma amostra da ação errônea do nosso ego. O sacrifício vai junto com a manipulação. Por exemplo, uma mãe que deixou a sua vida de lado pelos seus filhos, cedo ou tarde usará a sua atitude como válida para exigir algo deles; o namorado ou namorada que muda a sua rotina e deixa de fazer certas atividades pelo outro tratará depois de exigir o mesmo.
A próxima vez que você se sacrificar por alguém, procure saber primeiro se esse alguém lhe pediu. A atitude de mártir não leva em direção a Deus como muitos crêem: só o caminho do amor faz isso. Faça as coisas com amor ou então não faça nada.

(7) DEPENDER DE AMULETOS, SANTINHOS, CRISTAIS, VELAS, IMAGENS, OU QUALQUER OUTRO TIPO DE ELEMENTO
É certo que os materiais têm a sua própria energia e que o contato com eles (especialmente, com certos cristais de quartzo) produz mudanças na nossa vibração pessoal e podem ajudar-nos no processo curativo. Também é certo que algumas figuras, imagens e cores produzem reações psicológicas que nos estimulam; às vezes para o bem, outras para o mal. Os santinhos e outros objetos, tais como correntes com cruzes, estrelas de David e demais lembram-nos nossas posturas espirituais. O problema é que a maioria destes elementos se converte em amuletos e damos-lhes mais poder do que na realidade têm. Há pessoas que se sentem indefesas sem a sua cruz, o seu santinho protetor, o seu cristal preferido ou qualquer outro amuleto da sua preferência. O amuleto passa a ser Deus. Viver dependente de um objeto é limitar a divindade a esse objeto. Deus é Onipresente: está aqui, ali e em todo lado. O pior acontece quando uma pessoa extravia o seu amuleto ou este se parte. A maior parte das vezes isto interpreta-se como um presságio de que algo mau vai acontecer. Essa ideia é produto de crer que a pessoa se encontra sem a sua proteção e que, em consequência, os demônios e as energias negativas podem afetá-la. Vivemos num Universo Mental. “Tudo no que Acreditamos faz-se Realidade”. Porque não acreditamos então que o melhor amuleto do que disponho é a minha Natureza Divina? Ninguém nem nada pode despojar-nos do que somos realmente.

(8) ACREDITAR QUE ALGUÉM PODE GUIAR OS OUTROS OU QUE PODE SER GUIADO
Sentir que graças a alguém outras pessoas se iluminam ou, pelo contrário, que a presença de outros nos devolve a luz é pura ilusão do ego. O verdadeiro Mestre é Interno, é a sua Intuição, a Voz do seu Espírito. Muitas vezes essa voz coincidirá com aquilo que você escuta fora e pensará que alguém lhe guiando. Mas, assim que você aceitar alguém como o seu ídolo, começará a fabricar a sua própria decepção. Acontece a mesma coisa se alguém lhe entronizou e lhe tomou como líder; em algum momento os problemas da sua vida pessoal o decepcionarão. Todos aprendemos e ensinamos ao mesmo tempo. Por tal motivo, é conveniente manter uma atitude receptiva com os sinais que recebemos do nosso ambiente e ver que ressonância produz no nosso interior. Você não é o salvador nem o Mestre de ninguém. Nenhuma vida depende dos seus conhecimentos nem dos seus esforços. Isto é certo também ao contrário. Ninguém lhe resgatará nem o salvará, exceto você mesmo(a). O melhor Mestre com que contamos está dentro de Nós. Fala-nos com voz suave e paciente, sem nos obrigar a nada; indica-nos sempre o caminho mais curto e mais feliz, dá-nos a ideia mais adequada e a resposta que racionalmente não podemos encontrar.
Por isso, é conveniente praticar meditação e exercícios de relaxamento para poder escutar essa voz. Se você vive depressa, tenso, angustiado e com um ritmo acelerado, provavelmente não ouvirá a “voz da sua intuição” e procurará guias externos. Há pessoas que são muito positivas e estimulantes, e poderão ajudá-lo no início. Evite idolatrá-las e evite também ser idolatrado. Lembre sempre que o “Mestre mais válido e acertado está sempre dentro de você”.

(9) CRER QUE OS MESTRES ESPIRITUAIS SÃO AQUELES QUE NOS PROVÊEM DA INFORMAÇÃO TEÓRICA
Tendemos a cair muito facilmente na crença de que as pessoas que nos ensinam estão à frente e que já ultrapassaram muitas provas na sua vida. Em alguns casos, isto é totalmente certo; em outros, não. O fato de que uma pessoa transmita uma determinada informação não a coloca num grau superior. Deves lembrar que qualquer forma de idealização ou selectividade corresponde ao terreno do ego.
Os verdadeiros mestres espirituais são aqueles que nos põem à prova e vêm “mascarados” de filhos, pais, patrões, amigos, inimigos, animais, plantas e demais. São aqueles que nos trazem problemas. Eles são os que realmente nos ensinam as lições que temos que aprender porque nos põem à prova. Todas as religiões do mundo ensinam que Deus é Amor, que viver com Deus significa expressar Amor aos outros. Algumas pessoas assistem a templos, igrejas, ou escolas esotéricas, onde recebem esta informação, mas depois vão às suas casas e brigam com os seus familiares, criticam os seus vizinhos, odeiam os seus patrões, os políticos, os animais, indivíduos de outras raças ou culturas. Eles ainda não aprenderam a lição e a vida levá-los-á a se enfrentarem uma e outra vez com a mesma situação ou pessoa... até que aprendam a mostrar amor. Fazendo uma comparação com o ensino tradicional, os líderes espirituais ou religiosos são os “livros” que nos dão a informação; as pessoas que nos trazem problemas são os mestres que “nos fazem o exame” para ver se passamos a prova ou não.
Existe uma Lei no Universo: Tudo o que nos incomoda, complica, enreda, ou tudo o que odiamos, “contagia-nos”. Isto acontece até que aprendemos a amar a situação. Então, esse problema ou essa pessoa se convertem no mestre espiritual de esse momento.

(10) CRER QUE ALGUÉM NÃO PODE ABORRECER-SE, TEMER, OU SENTIR QUALQUER OUTRA EMOÇÃO NEGATIVA POR ESTAR NO CAMINHO ESPIRITUAL
Esta crença leva-nos a uma grande repressão da ira e dos aborrecimentos, que fazem a sua reaparição mais tarde sob a forma de rancor, crítica ou repúdio. Enquanto estamos no plano terrestre, vivemos as sensações e as emoções deste plano. Algumas delas são muito agradáveis, outras não. Ter um conhecimento intelectual acerca da ação destrutiva de certas emoções não as faz desaparecer. Alguém pode saber quão mau é o aborrecimento e, no entanto, não consegue evitar aborrecer-se. Na realidade, sim consegue evitar aborrecer-se, ou assustar- se ou angustiar-se, mas isso exige treino.
Durante dito treino, há momentos nos quais podemos dominar a raiva e a ansiedade, e outros nos quais nada pode nos acalmar. Uma vez que aparece o aborrecimento, o melhor é descarregá-lo da maneira mais positiva possível. É muito pior reprimir-se e intentar dizer: “Tudo está bem no meu mundo”, quando internamente está a sentir o desejo primitivo de querer atacar alguém.
A maioria das pessoas que transitam o terreno espiritual é muito exigente consigo própria e pretende erradicar completamente da sua vida este tipo de reações. Isto não resulta desacertado mas se logra através de um processo. Sê amável contigo próprio e, de vez em quando, dá-te a permissão necessária para maldizer, bater numa almofada, gritar, chorar e expressar, como melhor te resultar, todas as emoções negativas que te toca viver.
A maioria dos erros aqui enunciados está gerada pela atitude crítica do nosso próprio ego. O ego não pode desaparecer porque o necessitamos para atuar em este plano. A “solução” é alinhá-lo com o nosso Espírito. Amavelmente, podemos dizer-lhe ao ego que: “A partir de agora, deverá seguir as indicações de um novo Mestre amoroso, amável, paciente e permanente, que nunca julga e que sabe que sempre estamos dando nosso melhor”. Se seguirmos as indicações do nosso Mestre Interior, nunca falharemos.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Metatron: O AMOR É TUDO...

O Amor é a mais poderosa energia do Universo.
O Amor tudo pode.
O Amor remove obstáculos.
O Amor abre portas.
O Amor fortalece vínculos.
O Amor é a base de sustentação da família.
O Amor é o chão firme por onde andam aqueles destemidos que amam a tudo e a todos.
O Amor é o elemento que atrai e conecta todas as bênçãos do Universo.
O Amor na Terra é uma palavra que representa um sentimento.
O Amor no Universo é tudo.
Tudo é Amor.
Só o Amor é real.
O resto é dor e ilusão.
Você tem o Livre-Arbítrio.
Você tem o direito de escolher.
Encha seus pulmões com o mais puro ar do Amor.
E exale esse Amor ao seu redor.
Inspire Amor. Expire Amor.
Ao inspirar Amor, você cura o seu Ser, você completa seu corpo com Amor, você recicla suas células com Amor, você atrai o Amor para dentro de seu Ser. Você é Amor e ele está dentro de você.
Ao expirar Amor, você expande todo o seu Amor ao seu redor, você envolve todos ao seu lado com o seu Amor, você enche os ambientes por onde passa com o seu Amor, você deixa um rastro de Amor pelos caminhos que trilhar. Você exala Amor. O seu Amor. Para tudo e todos ao seu redor.
E assim, inspirando e expirando Amor, siga pelo seu dia, com total confiança que todo esse Amor, só pode atrair mais Amor para sua vida.
Simples assim.
Eu Sou Metraton, e vos saúdo na Luz e no Amor.
Canalizado por Adriano Pereira
18/09/2015

Jeshua - "As Crianças da Nova Era"

Esta canalização foi apresentada ao vivo, no dia 21 de maio de 2006, em Oisterwijk, Holanda. O texto falado foi ligeiramente modificado para facilitar a leitura.
----------------------------------------------------------------------------------
Queridos amigos,
Eu lhes ofereço as minhas cordiais boas-vindas. A minha energia flui no meio de vocês e vocês podem percebê-la como a energia do lar, um Lar para o qual vocês estão se movendo e uma Fonte da qual vocês estão vindo. A minha energia não é simplesmente a energia de um homem que viveu na Terra há 2000 anos atrás. Eu represento a Fonte de energia da qual todos vocês fazem parte e na qual os seus Eu Superiores estão presentes como um, como uma energia de grupo.
Nesse nível de unidade existe uma superalma que vocês podem chamar de energia Crística e que abrange todos nós – inclusive eu, Jeshua – como um guarda-chuva. É a partir dessa energia que nós levamos mensagens a vocês na Terra e seguramos um espelho à sua frente, enquanto vocês estão temporariamente perdidos e não conseguem encontrar o caminho. O que queremos mostrar-lhes é a energia do seu Eu Superior, a sua família de alma, a sua superalma. Nós os fazemos lembrar da Fonte da qual vocês descendem e de onde se origina a sua mais profunda inspiração.
A inspiração que os une tem a ver com trazer Luz à Terra. Tem a ver com a chegada da Nova Era. A sua encarnação aqui e agora na Terra está altamente conectada com os tempos de transição que vocês estão vivendo. Hoje eu gostaria de lhes falar sobre a chegada de uma nova geração de crianças na Terra. Essas crianças apresentam qualidades diferentes daquelas com as quais vocês se acostumaram no passado. Como foi que isso veio a acontecer? De onde vem esse fenômeno? Para responder a essas questões, eu tenho que levá-los para trás no tempo e mostrar-lhes como vocês foram os pioneiros da nova onda de energia que estas crianças estão trazendo.
Houve épocas na Terra em que a energia era pesada e rígida. Tudo era determinado por leis e regulamentos, sobrando pouco espaço para a imaginação e para os poderes intuitivos, que trazem consigo uma energia alegre e amorosa. Essa energia pesada tomou conta da Terra por muitas eras. Eu fui um pioneiro em romper o domínio dessa energia sufocante, em trazer Luz para uma realidade escura na qual prevaleciam o poder e a opressão. Havia repressão da imaginação, da liberdade de se expressar, da liberdade de expressar a energia do coração.
No curso dessa história, a Segunda Guerra Mundial representou um ponto crucial. Na esteira dos acontecimentos desse período de guerra, nasceu uma nova era e um novo espírito, que lhes ficou familiar como a revolução dos anos 60. Ela também foi uma revolução espiritual. A energia do coração renasceu naquela época e, embora a energia dos anos 60 tenha sido, de certa forma, ingênua e sem uma direção definida, de qualquer modo ela constituiu uma ruptura. Ela introduziu uma energia nova e vibrante.
Todos vocês, que nasceram no período ao redor da Segunda Guerra e depois, foram os pioneiros da nova era. Foram vocês que criaram as condições espirituais para o surgimento de uma nova geração de crianças que agora reconhecem a canção dos seus corações e levam-na mais adiante. É sobre estas crianças que eu gostaria de lhes falar agora.
Estas crianças chegaram com uma energia extremamente mais pura e elevada – “mais elevada” no sentido de que essas crianças são capazes de manter intacta uma quantidade maior da energia da alma, quando elas chegam na Terra. Uma outra forma de colocar isto é dizer que o véu entre a sua realidade material e os reinos espirituais tornou-se mais fino devido ao trabalho pioneiro que vocês e muitos outros realizaram, nas décadas que se seguiram à Segunda Grande Guerra.
Naqueles dias, muitas coisas foram colocadas em questão: as autoridades tradicionais foram questionadas e surgiram novos conceitos que influenciaram a consciência coletiva da humanidade em todo o mundo. À primeira vista, isto levou à confusão e ao caos, mas a energia do coração sempre leva à confusão e ao caos, no ponto de vista daqueles que adoram leis e estruturas e que olham de baixo para uma autoridade firme e resoluta, que lhes diga a verdade. Esses tempos se foram. Todos vocês estão desejosos de sentir a energia da verdade e da clareza, e já a encontraram dentro de si mesmos. Este trabalho interior prepara o terreno para uma nova era na Terra. Todos vocês têm um pé na velha era e um pé na nova. A transição para a nova era é uma transformação longa, gradual. As crianças que estão nascendo agora já estão se mantendo dentro da nova era muito mais do que vocês já o fizeram. No entanto, existe uma conexão e um reconhecimento importantes entre vocês e elas.
Para esclarecer melhor esta questão, deixe-me falar um pouco mais sobre os vários grupos de crianças que estão entrando na Terra. Todos vocês, que estão aqui presentes e que se sentem particularmente atraídos por esta mensagem, são almas de trabalhadores da Luz. Em canalizações anteriores(1), eu falei sobre as características das almas dos trabalhadores da Luz e sobre a sua história através das eras. Vocês são antigos e trazem a experiência de muitas, muitas vidas passadas. Devido a tudo por que passaram, vocês desenvolveram uma sensitividade na alma, que os torna sábios e compassivos, mas também vulneráveis. Muitas vezes vocês sentiram que eram “diferentes” e que não se ajustavam tão bem ao seu ambiente social. Principalmente nas épocas em que a ordem, a disciplina e a repressão dos sentimentos eram normais, isto lhes causou um sofrimento profundo e prejudicou os seus centros dos sentimentos. Mas agora vocês podem enxergar a sensitividade, que é característica de vocês, claramente refletida nos olhos das crianças trabalhadoras da Luz que estão nascendo na Terra.
Este é o primeiro grupo de “crianças da nova era” que eu gostaria de distinguir. Elas são almas de trabalhadores da Luz, que são basicamente iguais a vocês, mas que entram na Terra por um portal ou véu diferente. Elas estão menos carregadas com as energias da velha era do que vocês estavam. Vocês tiveram que lidar com antigos métodos educacionais, bem intencionados, mas que geralmente eram métodos sufocantes de criar os filhos, e que geralmente reprimiam o sentido infantil original de encantamento, imaginação e auto-estima. Tudo isso foi mudando através das últimas décadas. Agora há mais liberdade, mais espaço para os sentimentos, mais compreensão da importância das emoções, mais respeito pela natureza individual de cada pessoa.
Assim, os trabalhadores da Luz que estão chegando agora são recebidos de uma forma diferente, numa energia diferente, e isso os capacita a trazer mais da sua energia de alma e da sua luz cósmica através do véu. A sua sensitividade é claramente visível e isso pode, inclusive, causar desequilíbrio. Mas falarei disto mais adiante.
Eu gostaria de distinguir um segundo grupo de “crianças da nova era”. Elas são as almas terrestres. Elas não pertencem historicamente à família das almas de trabalhadores da Luz, das quais falamos antes(2). O desenvolvimento delas é profundamente entrelaçado com a evolução da vida na Terra. Elas são agora como um grupo que está passando pelos primeiros estágios do desapego de uma consciência baseada no ego e movendo-se em direção a uma consciência baseada no coração. As almas terrestres, que chegaram nas épocas mais recentes, apresentam uma sensitividade maior. Isto se deve não só ao seu próprio desenvolvimento interior, mas também ao fato do véu estar afinando e, conseqüentemente, haver mais espaço para a auto-expressão emocional. Elas também fazem parte da nova onda de energia que agora está chegando através das crianças.
Ainda há um terceiro grupo que eu gostaria de distinguir. É aquele que tem sido chamado (na sua literatura espiritual) de “crianças cristal”. Estas crianças são relativamente novas na Terra; elas não tiveram muitas encarnações aqui, embora tenham uma rica experiência com outras dimensões ou planos de existência, onde elas encarnaram em outras formas, diferentes do corpo humano. Vocês também podem chamá-las de “crianças das estrelas”. Com freqüência, a energia delas é sonhadora e elas também se caracterizam por uma grande sensitividade. No caso dessas crianças, pode inclusive haver sintomas físicos, como alergias (a alimentos) ou problemas de pele, que tem a ver com a dificuldade para se acostumarem com a energia da Terra, com a densidade e a crueza da realidade material. Estes seres recém-chegados à Terra trazem uma energia muito refinada, etérica, e eles precisam de ampla proteção e segurança para serem capazes de se aterrarem completamente.
Citamos, então, três grupos de crianças que são todas crianças da nova era. Assim, podemos dizer que todas as crianças que estão encarnando atualmente fazem parte da Nova Era, de acordo com a sua própria natureza.
Você, que está ouvindo e lendo isto, está especialmente familiarizado com as almas dos trabalhadores da Luz, porque você mesmo é um deles. Todos vocês são profundamente inspirados a trazer Luz para a Terra e, ao mesmo tempo, vocês carregam dentro de si velhas feridas de rejeição e solidão. Graças a isto, nem sempre lhes é fácil sentir uma conexão segura e amorosa com a Terra. Mas justamente este é o ponto de máxima importância, quando se trata de ajudar essas crianças a aterrar a energia delas e de levá-las a uma vida satisfatória. O pré-requisito para que vocês sejam capazes de encaminhar e amparar essas crianças e possam oferecer-lhes a segurança emocional que elas precisam é que vocês mesmos vivenciem uma conexão amorosa com a realidade terrestre.
Agora eu vou mencionar alguns problemas que essas crianças podem encontrar e o que vocês podem fazer a respeito disso, quando estiverem em contato com elas, seja como pais, professores ou terapeutas. Alguns de vocês sentem-se chamados a trabalhar com elas, e isto é muito apropriado, já que vocês são particularmente peritos no reconhecimento dos seus motivos e inspirações intrínsecos. Vocês reconhecem aspectos delas que foram reprimidos e suavizados em vocês mesmos, durante a sua infância e mais tarde. É por isto que o encontro com essas crianças pode tocá-los em um nível emocional profundo, pois vocês enxergam nelas um reflexo de si mesmos, o seu próprio amor, a sua própria originalidade, a também a sua própria dor. Realmente essas crianças também podem sentir a dor de não serem bem-vindas na Terra. Embora os tempos tenham mudado, não é tão evidente que elas venham a encontrar formas de manifestação que combinem com a vibração e o nível de consciência delas. Isto tem vários motivos.
O primeiro é que a energia ou vibração delas ainda não combina com a energia da Terra e da consciência humana coletiva. Elas estão à frente do seu tempo. Esta falta de compreensão entre o velho e o novo é familiar para vocês, devido à sua própria experiência. Existe um conhecimento e uma profunda sabedoria em vocês, da geração mais velha, que não se ajustou muito bem à realidade da sua sociedade. Eles vão contra os valores e conceitos tradicionais, profundamente arraigados, e têm se defrontado com ceticismo e desconfiança.
Além disso (segundo motivo), a realidade material tem uma lentidão inerente, devido à sua densidade. Sonhos e desejos não se manifestam rapidamente nem facilmente. Para realizar a sua inspiração mais profunda, vocês precisam ser capazes de se conectar com a Terra em todos os níveis: emocional, físico, mental e espiritual. Só assim a sua energia pode encontrar solo fértil e as sementes da sua alma podem germinar e florescer.
Para as crianças da nova era, vai ser muito importante conseguir se aterrar, ou seja, saber conectar a sua energia cósmica – que pode ser impetuosa, apaixonada e inspiradora – com a realidade da Terra. É importante que elas desenvolvam a paciência para canalizar a energia das suas almas para a realidade energética deste planeta. Inclusive, também é vital que elas tenham paciência com aquela parte da humanidade e da sociedade que está caminhando atrás e ainda não tem condições de compreender a sabedoria que elas lhe oferecem, e até interpretam o comportamento delas como obstinação e rebeldia.
Aqui acontece uma colisão entre o velho e o novo, que pode causar problemas. A energia das novas crianças muitas vezes será mal interpretada pelas pessoas que fazem parte da velha mentalidade, segundo a qual a disciplina, a ordem e a obediência são pré-requisitos para o completo desenvolvimento das habilidades e personalidade da criança. Agora, vocês são realmente aqueles que estão aqui entre o velho e o novo, e que têm condições de construir uma ponte. Vocês sofreram porque tiveram que controlar e manter dentro de si mesmos muito da sua verdadeira energia espiritual. Vocês sabem o que é sentir-se bloqueado em sua auto-expressão. Portanto, vocês entendem muito bem as novas crianças, vocês entendem a necessidade que elas têm de se libertar das regras baseadas na autoridade e repressão dos sentimentos.
Estas crianças precisam ter espaço para a auto-exploração e individualidade e, ao mesmo tempo, precisam entender o valor da disciplina amorosa (em oposição à disciplina autoritária). Elas precisam aprender como canalizar e lidar com suas próprias energias, sem se reprimir. Esta é precisamente a questão com a qual vocês mesmos estão lidando, no seu caminho interior. É vitalmente importante, para todos vocês, que sejam capazes de canalizar a sua energia cósmica, a sua centelha de luz, através do seu corpo para dentro da realidade terrena. Isto quer dizer, particularmente, que vocês têm que lidar com as emoções que os bloqueiam, impedindo-os de estar verdadeiramente presentes no aqui-e-agora e se expressar na realidade material.
Um dos principais problemas dos trabalhadores da Luz – o seu “complexo”, por assim dizer – é que eles carregam muita energia espiritual na parte superior do seu campo de energia (ombros e cabeça), que fica estagnada ali e não consegue encontrar o caminho para baixo. Essa energia não consegue se conectar apropriadamente com a Terra, o que é o mesmo que dizer que vocês conservam sua energia dentro de si mesmos e sentem-se incapacitados de se expressar satisfatoriamente. Isso também pode ser o caso nos seus relacionamentos privados, ou no seu ambiente de trabalho, onde vocês podem se sentir menos satisfeitos e criativos do que poderiam ser. Tudo isto tem a ver com não estar completamente aterrados. E o motivo dessa energia não conseguir descer e encarnar completamente, é que existem traumas emocionais localizados na área do abdome, que bloqueiam ou interrompem o fluxo. Portanto, é imensamente importante focalizar sua atenção e consciência nessas partes de vocês que estão necessitadas de cura emocional.
É vital que vocês consigam uma espiritualidade completamente incorporada, aterrada, e que não mantenham essa energia trancada dentro da parte superior do seu campo áurico. Senão, essa energia poderá causar uma forma de espiritualidade ingênua e desequilibrada, que pode lhes oferecer sentimentos de êxtase, uma vez ou outra, mas que carece de “corpo” para realmente se conectar à Terra e se manifestar externamente (como um emprego satisfatório e estável, um relacionamento amoroso e/ou abundância material). A energia espiritual deve se conectar com o corpo emocional e, a partir dele, com a realidade física. O que bloqueia o fluxo são feridas antigas: emoções como medo e raiva, sentimentos de inferioridade, frustração e amargura em relação à vida. Esses são os obstáculos emocionais com os quais vocês se chocam, e eu lhes digo que a chave para encontrar formas de amparar as novas crianças é lidar com essas questões emocionais básicas. A sua própria cura emocional vai lhes proporcionar os meios de ajudar as crianças a se aterrarem de uma forma amorosa e, ao mesmo tempo, disciplinada. Pois, ao enfrentarem firmemente essas questões, vocês vão criar uma trilha energética para elas.
O que significa cura emocional? Eu gostaria de falar sobre isto outra vez, embora já tenhamos tratado disto mais extensamente em canalizações anteriores(3). Todos vocês conheceram as épocas em que as emoções eram reprimidas e consideradas mais ou menos um tabu. Especialmente os mais velhos entre vocês cresceram em uma geração para a qual isto era padrão. Nos anos 60, houve uma reação contrária e as emoções foram libertadas, algumas vezes até o extremo oposto – a exaltação. As emoções foram colocadas acima da razão. A racionalidade teve que ser posta de lado por algum tempo, para que se pudesse investigar e transgredir livremente os limites da tradição. E isso foi proveitoso por algum tempo, mas a livre exploração das energias emocionais suprimidas também traz consigo algumas armadilhas. Não é possível transformar e curar as emoções oferecendo-lhes um livre reinado e deixando que elas controlem vocês.
A essência da liberdade espiritual está em tomar conhecimento de todas as emoções, permitir que elas existam, e ao mesmo tempo, manter-se totalmente consciente, acolhendo-as com sua própria consciência angélica. As energias emocionais não resolvidas, que estão dentro de vocês, são como criancinhas, confusas, tristes ou assustadas, que vêm lhes pedir conforto – elas vêm pedir ao anjo em vocês, ao seu Eu Superior. Desta forma, o seu Eu Superior, angélico, desce ao seu próprio corpo emocional para fazer o trabalho de cura que é a missão de vocês. E quando vocês fazem isso, a sua Luz flui para baixo, percorre os seus centros de energia (chacras) inferiores, percorre os seus braços e pernas e sai para o mundo. É isto que significa aterrar a sua energia angélica ou energia da alma.
É um processo que requer autodisciplina. Uso a palavra disciplina para chamar sua atenção para o fato de que isto não acontece automaticamente. O processo de autocura requer um foco firme e honesto na sua vida interior e uma vontade de encarar todas as emoções que estão dentro de vocês. Trata-se de reconhecê-las como suas, de responsabilizar-se por elas e de não se sentir vítima do passado, de outras pessoas ou da sociedade. Vocês são anjos que absorveram essas emoções e que têm o poder de transformá-las. Esta é a razão de vocês terem vindo à Terra: para transformar o seu medo, raiva e tristeza em amor, perdão e compreensão. Ao fazerem isto, vocês criarão para si mesmos uma vida de alegria e realização, e estarão em paz com a realidade da Terra. E assim, vocês estabelecerão uma trilha para as novas crianças que estão chegando (e as que já chegaram). Elas chegam com uma energia mais elevada, graças ao trabalho pioneiro de vocês, mas sem a certeza de que essa energia vai encontrar um solo firme onde pisar. .
Para preparar tal terreno, todos nós – a sociedade como um todo – teremos que nos abrir para os aspectos novos e diferentes dessas crianças. Precisamos acolhê-las com prazer e permitir que elas expressem a sua energia livremente e, ao mesmo tempo, ensiná-las a desenvolver o foco e a paciência para canalizar a sua energia para a realidade da Terra. Elas precisam expressar a energia de suas almas, a sua inspiração cósmica, em formas materiais que pertencem à Terra. Então, elas precisam sentir que são capazes de se expressar emocionalmente, mentalmente, criativamente e espiritualmente na linguagem, comunicação e organização. É importante que elas se sintam motivadas a trazer sua energia para esta realidade, mesmo que isto signifique que elas tenham que passar por resistências (internas e externas) e dificuldades.
A mensagem das novas crianças, a sua energia clara, cristalina, só poderá pousar em solo fértil, se nós as ajudarmos a estabelecer uma conexão amorosa com a Terra. Em relação a este aspecto, vocês mesmos estão passando por um processo fundamental de transformação, no qual o corpo emocional é a chave. Todos vocês estão no processo de assumir a responsabilidade pelas suas emoções mais profundas e gradualmente liberá-las na luz da sua própria consciência angélica. O seu Eu Angélico tem compaixão pelo profundo medo e desalento que vocês podem experienciar no reino terrestre. Faz parte da essência da energia Crística descer ao ponto mais baixo, onde a escuridão parece tomar conta de tudo, e fazer com que a presença da Luz seja conhecida. Não é nenhuma grande façanha irradiar luz no reino cósmico de amor e segurança.
O verdadeiro poder da energia Crística é que ela penetra nos recantos mais escuros e leva amor onde reina a desesperança. Na Terra – um planeta tão maravilhoso e rico e, apesar disso, tão afastado da unidade e do amor – a energia Crística prepara um canteiro de sementes e abre novas perspectivas. Todos vocês são os brotos das sementes e os pioneiros da nova era. Mesmo que o seu caminho pareça difícil e pesado, todos vocês realizaram muitas coisas e, através das suas próprias mudanças, ajudaram a abrir o portal para a nova onda de energia luminosa que agora está se derramando sobre a Terra.
Mesmo agora, não vai ser fácil. Ainda agora, muita escuridão está vindo á tona: abuso de poder, medo, energia velha. Portanto, eu lhes peço para manterem a fé na sua missão, que é levar a luz da sua energia Crística desabrochada para a sua própria escuridão interna. As crianças da nova era serão gratas a vocês. Elas precisam de vocês, mas elas também lhes dão algo em troca. Elas carregam a felicidade em seus corações, um delicioso frescor e uma lembrança viva do Lar. Elas brilham com alegria e amor, como um botão de flor cheio de promessas. Essa energia pode abrir os seus corações e levantar uma sensação de diversão e descontração em vocês. Todos vocês que se sentem velhos e desgastados, que já passaram por muitas coisas, estendam suas mãos para os recém-chegados! Eles precisam do seu amparo e experiência e eles vão trazer amor e alegria para as suas vidas. Este é um processo que toca todos vocês, tanto os que estão lidando diretamente com crianças, quanto os que não estão. Ele toca todos vocês.
Eu gostaria de terminar com um momento de silêncio, no qual eu lhes peço para se conectarem com a Terra. A própria Terra é uma inteligência, um ser com uma alma, que está aguardando ansiosamente a chegada das novas crianças. Ela sorri para si mesma, ao olhar para vocês, pois quando vocês chegaram aqui, numa outra época, vocês também eram crianças maravilhosas. Vocês foram os pioneiros e os mediadores. Sintam a gratidão da Terra por vocês. Vocês estão extremamente ligados a esse processo extraordinário. Depois sintam a chegada das novas crianças, cheias de expectativa e inspiração. Elas também estão aqui para ajudar vocês. A vivacidade e a sabedoria delas vai animá-los e recordá-los de que a nova era está realmente despontando, que o trecho mais longo é, de fato, o último trecho de volta ao lar, e que as flores do amor e da paz vão realmente florescer.
- See more at: http://sementesdasestrelas.blogspot.com.br/…/jeshua-as-cria…

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Liberte Sua Mente: É assim que a Matriz invade o teu corpo, mente e a...

Liberte Sua Mente: É assim que a Matriz invade o teu corpo, mente e a...: O stress é uma verdadeira pandemia, um ataque de espectro total ao sistema nervoso e imunitário que contribui enormemente para a insalubr...

domingo, 12 de julho de 2015

Sete passos para superar o controlo do ego sobre você


1 – Deixe de ficar ofendido
O comportamento dos outros não é motivo para ficar retido. Aquilo que o ofende somente o enfraquece. Se estiver procurando ocasiões para ficar ofendido, você as encontrará a cada oportunidade. Este é o seu ego operando, convencendo-o de que o mundo não deveria ser assim. Mas você pode se tornar um apreciador da vida e se equiparar ao Espírito universal da Criação. Você não pode alcançar o poder da intenção ao ficar ofendido. De qualquer modo, aja para erradicar os horrores do mundo que emanam da identificação massiva do ego, mas fique em paz. Como “Um Curso em Milagres” nos lembra:
“A Paz é de Deus, você que é parte de Deus, não está no lar, exceto em sua paz. O Ser é de Deus, você que é parte de Deus não está no lar, exceto em sua paz”. Ficar ofendido cria a mesma energia destrutiva que o ofendeu em primeiro lugar e leva ao ataque, ao contra-ataque e à guerra.
2 – Libere a sua necessidade de vencer.
O ego adora nos dividir em vencedores e perdedores. A busca da vitória é um meio infalível de evitar o contato consciente com a intenção. Por quê? Porque em última instância, a vitória é impossível o tempo todo. Alguém lá fora será mais rápido, mais afortunado, mais jovem, mais forte e mais inteligente, e novamente você se sentirá inútil e insignificante.
Você não é o seu prêmio ou a sua vitória. Você pode curtir a competição, e se divertir em um mundo onde a vitória é tudo, mas você não tem que estar lá em seus pensamentos. Não há perdedores em um mundo onde todos compartilham a mesma fonte de energia. Tudo o que você pode dizer em um determinado dia é que você realizou em um determinado nível, em comparação aos níveis de outros neste dia. Mas hoje é outro dia, com outros competidores e novas circunstâncias a considerar. Você está ainda na presença infinita em um corpo que está em outro dia, ou em outra década, mais velho. Deixe ir a necessidade de vencer, sem concordar que o oposto de vencer é perder. Este é o medo do ego. Se o seu corpo não está atuando de modo a vencer neste dia, ele simplesmente não se importa quando você não está se identificando exclusivamente com o seu ego. Seja o observador, notando e apreciando tudo isto sem precisar ganhar um troféu. Esteja em paz, e corresponda com a energia da intenção. E, ironicamente, embora você quase não o perceba, mais vitórias se apresentarão em sua vida quando menos as perseguir.
3 – Deixe ir a sua necessidade de estar certo.
O ego é a fonte de muitos conflitos e desavenças, porque ele o empurra na direção de tornar outras pessoas erradas. Quando você é hostil, está desconectado do poder da intenção. O Espírito Criativo é bondoso, amoroso e receptivo; e livre da raiva, do ressentimento ou da amargura. Liberar a sua necessidade de estar certo em suas discussões e relacionamentos é como dizer ao ego: eu não sou um escravo para você. Eu quero aceitar a bondade e rejeitar a sua necessidade de estar certo. Realmente, eu oferecerei a esta pessoa uma oportunidade de se sentir melhor, dizendo que ela está certa, e lhe agradecer por me apontar na direção da verdade.
Quando você deixa ir a necessidade de estar certo, é capaz de fortalecer a sua conexão com o poder da intenção. Mas tenha em mente que o ego é um combatente determinado. Eu tenho visto pessoas terminarem relacionamentos maravilhosos, apegando-se a sua necessidade de estar certo, interrompendo-se no meio de um argumento e se questionando: “Eu quero estar certo ou ser feliz?” Quando você escolhe o humor feliz, amoroso e espiritualizado, a sua conexão com a intenção é fortalecida. Estes momentos expandem no final das contas, a sua nova conexão com o poder da intenção. A Fonte universal começará a colaborar com você, criando a vida que você pretendia viver.
4 – Deixe ir a sua necessidade de ser superior.
A verdadeira nobreza não se refere a ser melhor do que outra pessoa. Trata-se de ser melhor do que você costumava ser. Permaneça focado em seu crescimento, com uma consciência permanente de que ninguém neste planeta é melhor do que outro. Todos nós emanamos da mesma força de vida criativa. Todos nós temos uma missão de compreender a nossa essência pretendida. Tudo o que precisamos para cumprir o nosso destino nos está disponível. Nada disto é possível quando você se vê como superior aos outros. É um velho provérbio, mas, entretanto, verdadeiro: Somos todos iguais aos olhos de Deus. Deixe ir a sua necessidade de se sentir superior, vendo a revelação de Deus em todos. Não avalie os outros com base em sua aparência, em suas conquistas, posses e em outros índices do ego. Quando você projeta sentimentos de superioridade, isto é o que você recebe de volta, levando a ressentimentos, e principalmente, a sentimentos hostis. Estes sentimentos se tornam o veículo que o distancia mais da intenção. Um Curso em Milagres trata desta necessidade de ser especial e superior. A pessoa que se julga especial sempre faz comparações.
5 – Deixe ir a necessidade de ter mais.
O mantra do ego é mais. Ele nunca está satisfeito. Não importa quanto você consiga ou adquira, seu ego vai insistir que não há o suficiente. Você se encontrará em um estado perpétuo de esforço para obter, eliminando a possibilidade de nunca chegar. Entretanto, na realidade, você já chegou, e como você optar por usar este momento presente de sua vida, é sua escolha. Ironicamente, quando você deixa de precisar mais, mais do que você deseja parece chegar a sua vida. Desde que você se desligou da necessidade por isto, você achará mais fácil transmiti-lo aos outros, porque você compreende quão pouco você precisa a fim de ficar satisfeito e em paz.
A Fonte universal está contente com ela mesma, expandindo-se constantemente e criando nova vida, sem tentar se apegar as suas criações para seus próprios propósitos egoístas. Ela cria e libera. Quando você libera a necessidade do ego de ter mais, você se unifica a esta Fonte. Você cria, atrai para si e libera, nunca exigindo que mais venha ao seu caminho. Como um apreciador de tudo o que se apresenta, você aprende a poderosa lição de S. Francisco de Assis: “É dando que recebemos.” Ao permitir que a abundância flua para e através de você, você se equipara a sua Fonte e garante que esta energia continue a fluir.
6 – Deixe de se identificar com base em suas realizações.
Este pode ser um conceito difícil se pensar que vocês são as suas realizações. Deus canta todas as músicas, Deus constrói todos os prédios, Deus é a fonte de todas as suas realizações. Eu posso ouvir o seu ego protestando em voz alta. Entretanto, permaneça atento a esta ideia. Tudo emana da Fonte! Você e esta Fonte são um! Você não é este corpo e as suas realizações. Você é o observador. Observe tudo isto; e seja grato pelas habilidades que acumulou. Mas dê todo o crédito ao poder da intenção, que lhe trouxe à existência e da qual é uma parte materializada. Quanto menos precisar assumir o crédito pelos seus empreendimentos e mais conectado permanecer às sete faces da intenção, mais estará livre para realizar, e mais se apresentará para você. Quando você se liga a estas conquistas e acredita que apenas você que está fazendo todas estas coisas, você deixa a paz e a gratidão de sua Fonte.
7 – Deixe ir a sua reputação.
Sua reputação não está localizada em você. Ela reside nas mentes dos outros. Portanto, você não tem nenhum controle sobre tudo isto. Se falar para 30 pessoas, você terá 30 reputações. Conectar-se à intenção significa ouvir o seu coração e se conduzir baseado naquilo que a sua voz interior lhe diz que é o seu propósito aqui. Se estiver muito preocupado em como será percebido por todos, então você se desliga da intenção e permite que as opiniões dos outros o oriente. Este é o seu ego operando. É uma ilusão que se interpõe entre você e o poder da intenção. Não há nada que não possa fazer, a menos que se desconecte da fonte de poder e se torne convencido de que o seu propósito é provar aos outros como você é poderoso e superior, e gaste a sua energia tentando ganhar uma gigantesca reputação entre outros egos. Permanecer no propósito, desligar-se do resultado, e assumir a responsabilidade pelo que faz, reside em você: seu caráter. Deixe que a sua reputação seja debatida por outros. Ela nada tem a ver com você. Ou como o título de um livro diz: “O que você pensa de mim, não é da minha conta.”
Wayne W. Dyer