quinta-feira, 17 de março de 2016

quarta-feira, 2 de março de 2016

Apeteceu-me escrever


Por favor, não me fales do teu passado. Não quero saber quem foste ou aquilo que fizeste. Não desejo saber com quem dormiste ou amaste. Não preciso saber quem te fez sofrer ou desrespeitou. Por favor, não me fales dos teus erros ou de quem quase morreu pelo teu amor.
Não quero saber quais as palavras que não disseste por medo, nem tão-pouco as que pronunciaste por raiva. Não necessito que me digas ou fales dos presentes que te deram ou daquelas que te fazem lembrar lugares ou pessoas. Na verdade, não quero saber nada de ti, mas apenas conhecer-te comigo.
Na verdade, desejo simplesmente que me contes o que significa tudo para ti, mas sem me dizeres a razão de nada. Por favor, não tragas quem foste, mas apenas quem és. Quero que te cries, libertes, ames, rias, exponhas e sejas comigo quem há muito desejas tanto ser, porque só assim vou conseguir falar-te também eu de quem estou a ser e não de quem fui ou daquilo que fiz.
José Micard Teixeira