domingo, 29 de maio de 2016

Ascensão Dimensional


Há uma abundância de vida em outros planos dimensionais, fora da nossa esfera tridimensional. Nós, seres humanos, estamos vibrando na terceira dimensão. A diferença entre a “terceira dimensão” e “dimensões superiores” reside na consciência.
Na quinta dimensão acima tudo se pode criar quase que instantaneamente. Tudo o que pensamos automaticamente criamos, sendo, portanto uma qualidade inerente a estas dimensões. Nestas dimensões superiores usamos o nosso corpo de luz inerente ao campo vibracional atuante nestas dimensões sutis. A comunicação se faz via telepatia onde todos podem ler a mente dos outros, o que envolve ser autêntico, transparente, ter um comportamento equilibrado e correto, onde não se pode ter “segundas intenções”, onde todos são capazes de ver…
Na quarta e quinta dimensão ainda perdura a dualidade, mas o sistema de julgamento muda porque os juízes e jurados são clarividentes e podem julgar como veem e leem nos campos energéticos dos seres que estão vibrando nestas dimensões mais sutis. Mas tudo é realizado por meio do campo vibracional da mente e não de palavras tendo em vista de não estarmos mais atuando em um corpo físico veículo próprio da densidade 3D.
A partir da quinta dimensão quando você olhar ou tocar em alguém, você pode ler instantaneamente a vida desta pessoa e saber tudo sobre ela.. sua vida presente.. suas vidas paralelas.. Isso ocorre porque nesta dimensão podemos ter acesso ao nosso Eu Multidimensional e de todos os que estão vibrando nesta frequência dimensional.
Para que possamos entrar neste novo e ascendente campo pentadimensional é necessário nos prepararmos o que já o estamos fazendo sendo parte do nosso caminho ascensional. Cada pensamento, cada atividade mental que fizemos, é uma semente do que será. O problema que muitos de nós estamos tendo é que ficamos travados no hábito do pensamento tridimensional enquanto escolhemos participar da realidade física em ascensão. Estamos esquecendo de que não estamos mais presos neste mundo. E de que não somos mais vítimas desse mundo de nenhuma forma, exceto pelo hábito. Este apego ao velho é um resultado de um estado subjacente e frequentemente inconsciente de medo que não permite que o eu se adapte a novas circunstâncias, usando racionalizações e justificativas para se apegar à ilusão de que é ainda possível viver como se estivesse no passado.
A nossa consciência já pode captar os “filmes” da realidade pentadimensional, mas somente o podemos fazer se a nossa percepção estiver calibrada à freqüência que pode captar essas imagens de luz. Evidentemente, se acreditarmos que perceber a quinta dimensão é impossível, então se tornará impossível. Assim que a nossa consciência estiver calibrada à freqüência penta dimensional, começaremos a projetar esta freqüência para a nossa tela mental interior. Mesmo enquanto nos mantermos dentro de um vaso terreno, o amor incondicional expande a nossa a consciência o suficiente para permitir que entremos nas freqüências de dimensões superiores.
O amor incondicional também tem o poder inato de realinhar aquilo que está fora de alinhamento para que sejamos um corredor claro através do qual a informação de frequência superior pode fluir.
Felizmente, até aquilo que está calibrado à uma dimensão inferior pode ser trazido para o alinhamento com o UM através do poder do amor incondicional.
Chegou à hora de nos curarmos e nos elevarmos acima do que nós escolhemos como nossos testes e desafios para esta existência. De expandirmos para cima e para dentro, para o nosso majestoso Eu Divino.. Há milagres reservados para todos nós e o maior deles é que a nossa perfeição nos aguarda.
Assim que um indivíduo decide evoluir, não há nada que ele precise fazer. Seu trabalho é SER.
EU SOU Maiana Lena, consciência unificada na missão de servir a luz!

quinta-feira, 17 de março de 2016

quarta-feira, 2 de março de 2016

Apeteceu-me escrever


Por favor, não me fales do teu passado. Não quero saber quem foste ou aquilo que fizeste. Não desejo saber com quem dormiste ou amaste. Não preciso saber quem te fez sofrer ou desrespeitou. Por favor, não me fales dos teus erros ou de quem quase morreu pelo teu amor.
Não quero saber quais as palavras que não disseste por medo, nem tão-pouco as que pronunciaste por raiva. Não necessito que me digas ou fales dos presentes que te deram ou daquelas que te fazem lembrar lugares ou pessoas. Na verdade, não quero saber nada de ti, mas apenas conhecer-te comigo.
Na verdade, desejo simplesmente que me contes o que significa tudo para ti, mas sem me dizeres a razão de nada. Por favor, não tragas quem foste, mas apenas quem és. Quero que te cries, libertes, ames, rias, exponhas e sejas comigo quem há muito desejas tanto ser, porque só assim vou conseguir falar-te também eu de quem estou a ser e não de quem fui ou daquilo que fiz.
José Micard Teixeira